poesia, literatura, ambiente, notícias, novidades.

10
Fev 21

 

Apesar do dever/obrigação de não sair de casa, a não ser para o essencial, surgem notas positivas.

Releio  livros  encaixotados  há  muitos  anos, recordo   colecções   que      iniciava e, que muitas vezes não concluía e que me distraem agora, nas  horas livres.

Bonecos de vidro, caixas de louça, de metal ou de pedra de sabão,  canivetes, postais ilustrados, expostos em casa, ou arrumados por cores  e tamanhos.

Mas sinto a falta daquela bica ao postigo, e decerto não serei caso único.

 

Apre6.jpg

 

publicado por sete às 21:51

 

Apre2.jpg

 

  Resta apenas a janela, que abre e

 fecha para aquele lugar já tão

 apetecido, chamado rua.

 

publicado por sete às 19:22

17
Dez 20

 

É a tua missão seres banco de jardim, indolente

 

como sugestivo, ÉSSE de quietação.

 

No teu recanto, me encosto, me espreguiço, durmito,

 

leio, observo.

 

wwwwwww.jpg

publicado por sete às 14:31

16
Dez 20

 

Ocultados todos os monstros, por sistemática influência, obrigados a servir o bem e o mal, o real e a fantasia.

 

Estalam no braseiro

as horas sem conta.

Porção a porção,

debito segredos,

nas antigas dedicatórias.

 

zzzzzzzzzzz.jpg

 

publicado por sete às 17:28

15
Dez 20

 

Há os bons e os maus (piores) momentos.

Há aqueles momentos, em que só desejamos admirar tudo o que seja bonito, agradável à vista, à nossa frente e em redor.

No caso dos graffiti, somos vítimas, tantas vezes, de bons e maus momentos.

Uns, rabiscos ou gatafunhos, que vandalizam as paredes de muitos prédios.

Outros, que pela sua perfeição, adornando muros e fachadas, resta-nos admirá-los e parar alguns minutos, em gesto de contemplação.

Exemplos abaixo ...

 

zzz.jpg

eeeeeeeeeee.jpg

 

publicado por sete às 16:23

09
Nov 20

 

De colégio de meninas, a Mosteiro que é só vento

 

IMG_20201109_144350.jpg

 

publicado por sete às 19:18

 

ESTADO DE EMERGÊNCIA EM PORTUGAL (Covid 19) - 9 a 23 de Novembro

 

Será proibido circular na via pública, mas há 13 (treze ? só ?) exceções. Ida à mercearia e ao supermercado é uma delas.

 

Quem quiser deslocar-se para trabalhar durante o recolher obrigatório terá de ter uma declaração da entidade empregadora.

 

O Governo já publicou o decreto-lei que regulamenta a aplicação do estado de emergência decretado pelo Presidente da República.

 

É o decreto n.º 8/2020, publicado na noite deste domingo, que confirma aquilo que o primeiro-ministro já tinha anunciado no sábado, ou seja, vai haver recolher obrigatório nos

 

121 concelhos de maior risco de propagação da Covid-19.

 

img_0891-1.jpg

 

publicado por sete às 17:08

08
Nov 20

 

Cantei entre os dentes, uma desafinação,

com má música, mas tem lume e letra,

um senão, não é treta,

foi escrita à mão com uma caneta.

 

Super-herói, bicho, maldito,

agarra quem vê, não vê quem agarra,

o teu covil hão-de conquistar,

pelo teu passado haverá grande farra.

 

Perdido ainda nesta dúvida caótica

não sei se falo, àquele que chamo,

queridas primaveras, de prazer me embaraço,

estou vivo, vivo, enfim, proclamo.

 

samurai-mask-helmet.jpg

 

publicado por sete às 16:52

01
Nov 20

 

 

Novembro é o décimo primeiro mês do ano no calendário gregoriano, tendo a duração de 30 dias.

Novembro deve o seu nome à palavra latina novem (nove), dado que era o nono mês do calendário romano, que começava em Março.

Novembro manteve o seu lugar quando Janeiro e Fevereiro foram adicionados àquele calendário.

Novembro é um mês de final do Outono no hemisfério norte. e final da Primavera no hemisfério sul.

Em Novembro, temos o zodíaco ou signo zodiacal de Escorpião (23 de Outubro a 21 de Novembro), que no final do mês vai para Sagitário (22 de Novembro a 21 de Dezembro).

A Igreja dedica o mês de Novembro em oração ás pobres Almas do Purgatório.

Devido às inúmeras ocasiões para comemorar os mortos, Novembro também é conhecido como o mês do luto.

No calendário romano originalmente, o nome era Novembro.

 Em 153 A.C, no entanto, o início do ano foi adiantado em dois meses, de modo que a relação direta entre o nome e a contagem do mês foi perdida.

Isso às vezes é esquecido ao transferir as datas latinas usadas anteriormente.

Sob a égide do imperador Cómodo, o mês foi rebatizado de Romanus, mas após a morte daquele, recuperou o seu antigo nome.

No Ano Litúrgico, Novembro é considerado um mês de reflexão e lembrança.

O Dia de Todos os Santos comemorado na Igreja Católica, em honra de todos os seus santos, é sempre celebrado em 1 de Novembro, seguido pelo Dia de Finados em 2 de Novembro, dia em que se comemora os fiéis defuntos.

O 11 de Novembro é o chamado Dia de São Martinho, um dia de celebração da Igreja Católica em homenagem a São Martinho de Tours.

Novembro é o mês dos magustos.

 

CÓPIA mês-de-Novembro.jpg

 

publicado por sete às 15:26

31
Out 20

 

Depois de ter dado algumas voltas à cabeça e não emergindo acontecimento algum que me atraísse o suficiente para aqui o expor, lembrei-me de um acto simples, mas tão importante: a compra e a leitura de um livro.

Vasculhadas as prateleiras da livraria, escolhido o livro, os passos guiam-me até à caixa, onde pago, e logo depois, guiam-me até casa, onde irei, enfim, descobrir o tesouro.

Á medida que folheamos as páginas, os substantivos afloram: a curiosidade, o mistério, a emoção e uma interrogação invade-nos: como será o fim ?

Como no sermão do Padre António Vieira, um cepo é feito fogo, outro é feito ídolo e adorado, é o que vamos conjecturando.

Ou mais simplesmente, como Almada, pedimos a uma criança que desenhe uma flor.

 

O CANTO DO CARRASCO – Norman Mailer

 

Que valor poderá ter uma vida ?

Norman Mailer conta a história de Gary Gilmore, assassino condenado e executado em Janeiro de 1977. Recriando o mundo atormentado de Gilmore, regista os depoimentos da sua amante Nicole, de amigos, de conhecidos, de antigos patrões, das suas vítimas, assim como também de polícias, de detectives, de guardas prisionais, de juízes, de advogados, de psiquiatras, de jornalistas.

É a história de 9 meses terríveis, o espaço de tempo decorrido entre a sua libertação condicional e as mortes insensatas que o levaram à sua hora final. É uma história de violência e medo, de ciúme e desespero, de amor que desafiou até a própria morte.

Com esta obra, Mailer obteve em 1980, o prémio Pulitzer.

 

CÓPIA HQK.jpg

 

publicado por sete às 12:57

Fevereiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar